Salvador, 23 de October de 2019
Acesse aqui:                
facebookorkuttwitteremail
Erro
  • Your server has Suhosin loaded. Please follow this tutorial.
'Mito' é esnobado por Trump e se vinga contra Venezuela e Cuba. Por Ricardo Kotscho
Ajustar fonte Aumentar Smaller Font
Dando o que Falar
Qui, 20 de Dezembro de 2018 04:14

ricardo_kotschoJair Bolsonato, o "Mito", como é chamado por seus seguidores, se agachou o quanto pode para bajular os Estados Unidos, mas tomou uma bela invertida do seu êmulo Donald Trump, que já mandou avisar: não vem para a posse do presidente eleito no dia 1º de janeiro.

Ao mesmo tempo em que era esnobado pelo homem mais poderoso do planeta, Bolsonaro resolveu se vingar da desfeita e mandou desconvidar os presidentes de Cuba e da Venezuela, um gesto que não tem antecedentes na história da diplomacia brasileira.

Antes mesmo da posse, os Bolsonaros pai e filhos, junto com o inacreditável chanceler Ernesto Araújo, já transformaram o Itamaraty na Casa da Mãe Joana.

É um festival de trapalhadas que pode causar prejuízos bilionários ao país em sua balança comercial.

Eles resolveram comprar briga com meio mundo ao mesmo tempo, como se o Brasil fosse uma grande potência capaz de lançar desafios a torto e a direito.

"Brasil terá resposta se transferir embaixada, diz negociador palestino" é o título da entrevista de Saeb Erekat, publicada na Folha desta terça-feira.

Erekat anunciou que o governo palestino já se prepara para responder caso Bolsonaro cumpra a sua promessa de transferir a embaixada brasileira de Tel-Aviv para Jerusalém.

"Haverá consequências em diversos níveis, incluindo seu status nos fóruns internacionais e suas relações com os países árabes", advertiu o negociador-chefe dos palestinos.

Durante o governo de transição, a nova ordem já tinha atacado o Mercosul e a China, dois dos maiores mercados de produtos brasileiros.

A hostilidade agora aberta contra dois países latino-americanos, que pode levar ao rompimento de relações com Cuba e Venezuela, ameaça a liderança brasileira no continente.

Aonde eles querem chegar? Dá a impressão de que nem eles sabem, ao anunciar posições radicais entre uma visita e outra a um quiosque na Barra da Tijuca para tomar água de coco.

Estão brincando com fogo à beira do vulcão da geopolítica mundial, sem ter a menor ideia das consequências, numa guerra ideológica fora de época, superada desde o fim da Guera Fria.

Ainda não entenderam que a guerra hoje é comercial e exige mais inteligência do que tanques obsoletos.

No festival de trapalhadas que marcou a montagem do ministério, dividido em feudos (militar, econômico, religioso, político e jurídico), o que está acontecendo no Itamaraty é o mais grave, pois pode trazer consequências a curto prazo.

Com as relações exteriores do país agora nas mãos do chanceler Araújo e do filho Eduardo Bolsonaro, que quer ser o novo líder da direita mundial, corremos o risco de virar párias no concerto das nações civilizadas.

Para não falar em laranjas, goiabas e açaís nesta quitanda federal que está se armando em Brasília, urge que setores mais responsáveis do novo governo, se é que existem, segurem os seus radicais antes que seja tarde.

A economia e a imagem do país no exterior já estão em frangalhos, não precisamos piorar ainda mais as coisas.

Se o presidente eleito acha que o grande irmão do norte vai lhe dar a mão nesta sua escalada rumo ao desconhecido, Bolsonaro pode ir tirando o cavalinho da chuva.

Na escala de prioridades de Trump, o Brasil está lá na rabeira, apesar dos rapapés de Bolsonaro pai e filho aos americanos.

Não adianta botar o boné do presidente americano na cabeça e oferecer café da manhã de escoteiro a um funcionário do segundo escalão da Casa Branca, porque Trump também pode ser meio maluco, mas não é bobo.

Tem assuntos muito mais importantes para enfrentar em seu próprio país e no mundo.

Em vez de cometer grosserias com países com os quais o país mantém relações diplomáticas e comerciais, os Bolsonaro deveriam se ocupar mais do depoimento do PM motorista no Ministério Público, marcado para esta quarta-feira.

A depender do que o ex-assessor do laranjal falar sobre o destino do dinheiro do seu caixa eletrônico, o presidente eleito poderá bater um recorde: começar o governo já com uma CPI pela proa.

E vida que segue.

REUTERS/Adriano Machado
Artigo publicado originalmente em  https://www.brasil247.com/pt/colunistas/ricardokotscho/377956/'Mito'-%C3%A9-esnobado-por-Trump-e-se-vinga-contra-Venezuela-e-Cuba.htm

Compartilhe:

 

O MELHOR DO ALDEIA NAGÔ NO SEU EMAIL

CADASTRE-SE EM NOSSO NEWSLETTER:

FOTOS DOS ÚLTIMOS EVENTOS

  • 28.09.19.005Rock Rural Janah e Raul. Casarão. 28 Set 2019
  • 06.03.19.041Patuskada para Exu Bouzanfrain. 06 Mar 2019
  • 05.03.19.148Carnaval no Pelô. Alb 2. 05 Mar 2019
  • 05.03.19.105Carnaval no Pelô. Alb 1. 05 Mar 2019
  • 04.03.19.195-1Ilê Aiyê. Campo Grande. Alb 2. 04 Mar 2019
  • 04.03.19.198Ilê Aiyê. Campo Grande. Alb 1. 04 Mar 2019

Parabéns Aniversariantes do Dia

loader
publicidade

ENSAIOS FOTOGRÁFICOS

GALERIAS DE ARTE

Mais galerias de arte...

HUMOR

  • Lava Jato_1
  • Categoria: Humor
Mais charges...

ENQUETE 1

Qual é o melhor dia para sair a noite?