Salvador, 21 de May de 2019
Acesse aqui:                
facebookorkuttwitteremail
Política e derrota. Por Claudio Guedes
Ajustar fonte Aumentar Smaller Font
Dom, 03 de Fevereiro de 2019 18:24

Claudio_GuedesNa política, como na vida, derrotas são inevitáveis. Ninguém, nenhum partido, nenhuma força politica, em regimes democráticos - mesmo que sejam democracias com alto grau de imperfeição -, conquista vitória eterna.

Há a fadiga no poder, os erros cometidos no duro exercício do mandato e o crescimento da oposição que, apenas por existir, é sempre uma alternativa de poder.

A derrota não deve assustar ninguém que enxergue a política como uma atividade de construção do mundo, como parte do processo civilizatório, que não é linear e, pelo contrário, está sujeito a marchas e contra-marchas.

Após uma derrota, o que fazer? Primeiro, não se desesperar. Segundo, estudar. Terceiro, continuar a lutar.

Não se desesperar é fundamental. Estudar é bom. Ninguém perde algo estudando, buscando compreender as razões da derrota. Estudar é um jogo de ganha-ganha. Mas o mais importante, após uma derrota, é continuar lutando.

Quem perde lutando, quem continua na luta após perder, tem todas as condições de reconquistar vitórias.

Capitular, buscando acordo espúrio com vencedores - que representam visões antagônicas de mundo e de sociedade -, é opção mequetrefe, não é alternativa admissível.

Democratas honestos, liberais verdadeiros, pessoas de centro-esquerda ou de esquerda, todos que entendem a democracia com um valor universal, como um valor inegociável, todos que não aceitam o racismo, o preconceito, a discriminação e a perseguição de minorias, todos esses têm razões de sobra para estarem na oposição ao atual governo.

Oposição.

Marcação cerrada, crítica dura, contrapor alternativas às propostas do governo, é o papel da oposição. Essa história de "torcer" a favor é coisa de adesista.

Na política você é situação ou é oposição.

O governo Jair Bolsonaro possui fragilidades evidentes, cabe a oposição explorá-las. E derrotá-lo, nos marcos da democracia, nos embates nas instâncias sociais, no parlamento e nas próximas eleições.

O objetivo é substituí-lo por um governo com compromissos claros com a democracia, que se empenhe com políticas públicas distributivistas da renda nacional e que se engaje na preservação e ampliação das liberdades e dos direitos civis.

É uma boa agenda mínima. De oposição.

Compartilhe:

 

O MELHOR DO ALDEIA NAGÔ NO SEU EMAIL

CADASTRE-SE EM NOSSO NEWSLETTER:

FOTOS DOS ÚLTIMOS EVENTOS

  • 06.03.19.074Patuskada para Exu Bouzanfrain. 06 Mar 2019
  • 05.03.19.163Carnaval no Pelô. Alb 2. 05 Mar 2019
  • 05.03.19.087Carnaval no Pelô. Alb 1. 05 Mar 2019
  • 04.03.19.302-1Ilê Aiyê. Campo Grande. Alb 2. 04 Mar 2019
  • 04.03.19.211Ilê Aiyê. Campo Grande. Alb 1. 04 Mar 2019
  • 04.03.19.159Mudança do Garcia. Festa Ednice. 04 Mar 2019

Parabéns Aniversariantes do Dia

loader
publicidade

ENSAIOS FOTOGRÁFICOS

GALERIAS DE ARTE

Mais galerias de arte...

HUMOR

  • A Justiça brasileira_1
  • Categoria: Humor
Mais charges...

ENQUETE 1

Qual é o melhor dia para sair a noite?