Salvador, 17 de October de 2021
Acesse aqui:                
facebookorkuttwitteremail
Erro
  • Your server has Suhosin loaded. Please follow this tutorial.
Thiago Almasy estreia como diretor em curta de ficção científica gravado no Subúrbio Ferroviário de Salvador
Ajustar fonte Aumentar Smaller Font
Ter, 22 de Junho de 2021 14:34

Thiago_Almasy_estreia_como_diretorAlienígenas chegam à Bahia com o objetivo de dominar o planeta quando, prestes a dar início à missão, têm seus planos impactados por um fenômeno global: a pandemia de covid-19. O desfecho de Via Láctea, uma ficção científica dirigida pelo ator baiano Thiago Almasy, pode ser conferido a partir das 19h da próxima sexta-feira (25), quando estreia no canal do artista no YouTube, plataforma onde

permanece em exibição por sete dias.

 

Escrito por Almasy e pelo também ator Genário Neto, o filme foi rodado em cinco dias de fevereiro, no Alto do Cabrito, Subúrbio Ferroviário de Salvador, e se propõe a discutir questões sociorraciais. A dupla - famosa por interpretar, respectivamente, Júnior e Meire, na websérie Na Rédea Curta -, dá os primeiros passos à frente de uma produção cinematográfica cuja equipe é totalmente baiana e majoritariamente negra. Segundo os roteiristas, o curta-metragem - pensado, escrito e gravado durante a pandemia - chega para agregar ao audiovisual da Bahia.

“É um filme que lida com o fantástico. A ficção científica e a fantasia têm o poder de usar alegorias para refletir a própria condição humana. É um filme que tem muitas provocações”, diz Thiago, que faz uma pequena participação frente às câmeras. A começar pelo fato de que os alienígenas, que vêm na condição de colonizadores, passam a enxergar sob a perspectiva de pessoas em posições subjugadas. “É uma história que aborda o colonizador entrando no corpo do colonizado e experimentando essas subjetividades, as violências atravessadas por aquele corpo”.

Almasy conta ainda que a obra, que tem cerca de 27 minutos, marca sua estreia como diretor e a amizade de oito anos com Genário Neto, um dos protagonistas do curta. "É a nossa entrada definitiva no audiovisual. Em Salvador, a gente tem uma carência grande, que coloca nós, atores, à espera dos trabalhos chegarem. Agora estamos nos capacitando para contar nossas próprias histórias e perspectivas”, afirma, ao lembrar que tanto ele quanto Genário estrearam esse ano nas telonas. Thiago no longa Eu, Empresa (Leon Sampaio e Marcus Curvelo), lançado na Mostra de Cinema de Tiradentes, e Neto na produção Carnaval (Leandro Neri), da Netflix.

Para Genário, atuar em Via Láctea, contudo, foi uma experiência diferente de todas as outras. “Iniciamos de um argumento e fomos desenvolvendo as cenas. Escrever foi um processo rápido, uns quatro dias. Atuar foi complicadíssimo, primeiro porque eu estava fazendo uma coisa que ajudei a construir, depois porque a gente não teve processo de ensaio, preparação, por causa da pandemia. Tentei desapegar um pouco das práticas humanas. Todo o meu movimento interior, de memória e emoção, estava no sentido de que eu precisava pensar em alguma matéria inocente. Porque aquele ser luminoso era bem inocente”, explica o ator.

Logo após a estreia, no dia 25, a partir das 20h, Genário e Thiago comentam o filme em uma live. Na sexta-feira (26), no mesmo horário, Almasy se reúne, também em live, com o elenco do curta. Os eventos virtuais acontecem no perfil @ultimaplataforma, no Instagram.


Via Láctea

Em Via Láctea, os extraterrestres não têm a forma ----de pequenos marcianos verdes, mas de uma luz com consciência que foge à compreensão humana. Eles não podem transitar em matéria, em decorrência das condições atmosféricas, por isso, se hospedam em corpos humanos. Neste caso, em quatro corpos. O de Rosa, a escolhida; o de um mendigo, o conselheiro espiritual, que cuida de Rosa; o de um policial militar, o arquiteto responsável por construir a máquina de terraformação; e um quarto personagem, a ponte, que tem o contato direto entre a terra e a nave-mãe - este deságua num ponto que causa certa reviravolta nos planos.

Rosa, interpretada pela atriz Márcia Limma - veterena nos palcos da capital baiana e indicada ao Prêmio Braskem de Teatro pelas peças Medéia Negra e Holocausto Brasileiro -, acaba hospedando a rainha e tem a missão de se sacrificar para repovoar a terra com novos seres. Quando a rainha entra no corpo de Rosa, uma mulher negra, mãe solo, que acabou de sair de um relacionamento abusivo, o inesperado acontece. “A consciência da rainha, que é maternal, toca na consciência humana da mulher que não consegue ser a mãe que gostaria por razões diversas, entre ser uma mulher preta, periférica, etc, é como se essas duas coisas fossem convergindo para um ponto comum”, adianta Thiago.

Com orçamento de R$100 mil, fruto do Prêmio Conceição Senna de Audiovisual, por meio de edital municipal da Fundação Gregório de Mattos, e incentivo da Lei Aldir Blanc, Via Láctea apresenta ao telespectador trilha sonora própria, atmosfera de magia e narrativa que toca também questões sociais, como representatividade - sobretudo ao dar protagonismo aos personagens quase que na mesma medida. “Acho que vai impressionar muita gente. O filme está com uma primazia estética muito bonita e que marca o momento da pandemia, para Salvador e para a Bahia”.

Via Láctea tem produção executiva de Ary Rosa e Fábio Osório Monteiro, que também atua. Esta é a primeira produção, com verba captada, assinada pela ULTIMA Plataforma, selo de produção artística criada por Thiago com o ator Sulivã Bispo, intérprete de Mainha, em Na Rédea Curta.

O curta, garantem os autores, parte da premissa de descolonizar narrativas e dar protagonismo e dignidade à existência de pessoas historicamente invisibilizadas. Márcia Limma, Genário Neto, Fábio Osório Monteiro, Antônio Fábio, Fernanda Silva e a atriz mirim Aya Dantas dão vida a personagens que, reforça Almasy, são complexos o suficiente para agregar valor à Via Láctea, que tem potencial para se desdobrar em coisas maiores.

 

Via Láctea

Lançamento: 25.06, às 19h | YouTube, no canal oficial de Thiago Almasy
@ultimaplataforma
Fotos: Gabriela Palha/Divulgação
Assessoria: Tailane Muniz | 71 99204-9039

Compartilhe:

Última atualização em Qui, 24 de Junho de 2021 01:14
 

FOTOS DOS ÚLTIMOS EVENTOS

  • 24.02.2020.416Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 4. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.250Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 3. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.124Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 2. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.051Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 1. 24 Fev 2020
  • 24.02.20.222Mudança, Magary, Motumbá. C. Grande. 24 Fev 2020
  • 24.02.20.092Didá & Respeita as Minas. Campo Grande. 24 Fev 2020

Parabéns Aniversariantes do Dia

loader
publicidade

GALERIAS DE ARTE

ENQUETE 1

Qual é o melhor dia para sair a noite?