Salvador, 13 de July de 2020
Acesse aqui:                
Banner
facebookorkuttwitteremail
Erro
  • Your server has Suhosin loaded. Please follow this tutorial.
To be or not be. That is a question. Por Zuggi Almeida
Ajustar fonte Aumentar Smaller Font
Ter, 16 de Junho de 2020 07:29
Zuggi_AlmeidaO Faceapp retorna após polêmicas causadas há algum tempo quando do seu lançamento. A ferramenta de mudança facial que envelhecia os rostos, permite, agora, ao usuário mudar de gênero.

Isto pode não ser uma grande novidade em Salvador,onde o bloco Muquiranas realiza o sonho feminino de milhares de baianos nos carnavais.

A versão anterior do Faceapp, o aplicativo criado por desenvolmentistas russos originou investigações do FBI preocupado com supostas ações de espionagens da KGB. Após, sanadas as especulações o app está aí para diversão dos internautas.

É possível mudar de sexo, mesmo que seja na transformação virtual.

O que tem a ver o Faceapp e a entidade carnavalesca soteropolitana?

Ambos possibilitam visualizar um lado antes obscuro dos homens e satisfazer a curiosidade da versão mulher do indivíduo. No caso das Muquiranas, esse ato é explícito.

Antever-se mulher possibilita esse homem considerar alguns tipos de comportamentos?

Um outro olhar pode ser projetado em relação ao outro e ser percebida a similaridade entre gêneros ?

O Brasil está estruturado numa sociedade machista, sexista, misógina e violenta. Os crimes passionais contra mulheres crescem de forma absurda no país. O isolamento social por conta da pandemia tornou - se condição para aumento dos casos de agressões domésticas à essas mulheres.

A ludicidade do Faceapp poderia refletir como o respeito devido a essa mulher, mãe, companheira, irmã ou amiga. Seria uma espécie de milagre criptografado num mundo que busca por uma nova realidade.

As redes sociais no final da semana passada foram invadidas por imagens modificadas pelo aplicativo e percebi em grupos de amigos, quanto foi o ambiente amistoso após a exposição das fotos trocadas. Identifiquei até que um deles ficou a cópia fiel da filha.

A quebra de paradigmas produzida pelo corona vírus implica na reavaliação de conceitos e novas formas de se relacionar. A questão de gênero é fundamental na construção de um modelo social evolutivo.

O que é visto como fantasia pode ser transformado numa realidade pautada na igualdade, no respeito mútuo e no humanismo.

Ser ou não ser.

Isso já não é mais a questão.

Zuggi Almeida é cronista e escritor.To be or no.r tobe

Compartilhe:

Última atualização em Ter, 16 de Junho de 2020 08:24
 

O MELHOR DO ALDEIA NAGÔ NO SEU EMAIL

CADASTRE-SE EM NOSSO NEWSLETTER:

FOTOS DOS ÚLTIMOS EVENTOS

  • 24.02.2020.394Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 4. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.291Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 3. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.213Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 2. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.035Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 1. 24 Fev 2020
  • 24.02.20.186Mudança, Magary, Motumbá. C. Grande. 24 Fev 2020
  • 24.02.20.090Didá & Respeita as Minas. Campo Grande. 24 Fev 2020

Parabéns Aniversariantes do Dia

loader
publicidade

ENSAIOS FOTOGRÁFICOS

HUMOR

  • Lava Jato_1
  • Categoria: Humor
Mais charges...

ENQUETE 1

Qual é o melhor dia para sair a noite?