Salvador, 22 de September de 2021
Acesse aqui:                
facebookorkuttwitteremail
Erro
  • Your server has Suhosin loaded. Please follow this tutorial.
Lira arma o Arenão: Partido Militar + Centrão + Faria Lima buscando apoio dos EUA. Por Roberto Moraes
Ajustar fonte Aumentar Smaller Font
Dando o que Falar
Ter, 20 de Julho de 2021 20:04

roberto-moraesÉ disso que se trata a volta da ideia do parlamentarismo através do presidente da Câmara, deputado Artur Lira em matéria de capa hoje aqui no Estadão. Tentam o 3º golpe. Golpes sobre golpe. Assim, os mesmos tentam reconstruir o esquema do impeachment (pedaladas), a Lava Jato (prisão de Lula) e o apoio ao Partido Militar de Villas Boas e dos generais haitianos. Essa é a via de 2018 revisitada, agora com a marca da aliança Centrão e Partido Militar.

Na prática, o Centrão avança da sua lógica já conhecida de aprisionar o poder para dele se servir. O parlamentarismo é mais que isso e agora, Lira fala em nome de outros sustentáculos.

A proposta pretende entregar o poder ao Arenão: Partido Militar + Centrão e a Faria Lima do setor financeiro, mercado de capitais e dos fundos, em nome do capitalismo da gestão de ativos. Além destes agentes há apoios e articulações também nas cortes de Justiça do país como nos movimentos anteriores.

O jogo vai ficando mais às claras. Para entendermos melhor tudo isso é necessário incorporar outras escalas, em nossas análises de conjuntura nacional, através de leituras sobre os movimentos da geopolítica, para se ter uma interpretação mais potente da realidade em sua totalidade, em que o Brasil é hoje de fato, um líder do Sul Global.

O capital é global e algumas corporações gigantes já são maiores e possuem mais poder que estados-nações. As plataformas digitais servem de meio de circulação de negócios e mercadorias, mas também de manipulação e controle político a nível global. Temos Estados-Plataformas comandados por conglomerados de corporações.

Com este olhar mais amplo, eu tenho sustentado a leitura de que a dominação tecnológica tem ajudado a ampliar a hegemonia financeira que hoje detém enorme poder político. Articulações transfronteiriças que servem a esses movimentos da geopolítica, onde as guerras híbridas se transformaram em rotinas, comandadas pelo império para controle político sobre os estados-nacionais na periferia do mundo.

Trata-se de uma lógica imperialista ampliada e ainda mais controlada com os artifícios da tecnopolítica e da algoritmização da vida. É nessa lógica conhecendo em detalhes (em dados e fluxos) todo o potencial do Brasil, que os interesses se ampliaram. Hoje, esses interesses são muito maiores do que aqueles de 1964, porque neste intervalo, o Brasil, assumiu a condição de líder do Sul Global.

Como venho sustentando, os EUA têm um interesse especial neste momento sobre o Brasil: a garantia de não retomada dos BRICS para limitar a ação da China, em aliança com a Rússia.

Repito, o Brasil é o maior player do sul global, além de fornecedor de commodities que atende a China, em casos de maiores pressões e disputa como a da guerra comercial com os EUA.

Além disso, há interesse enorme sobre o pré sal, maior fronteira petrolífera descoberta nas duas últimas décadas no mundo. Desde 2014, que as reservas no mundo estão diminuindo, por conta de menores investimentos para exploração em petróleo, setor estratégico em qualquer disputa geopolítica.

Os EUA hoje jogam para segurar a hegemonia do império contra a China e seus aliados e assim, não aceitam o Brasil retomar com força o movimento dos Brics. É disso que o chefe da CIA veio tratar aqui no Brasil há algumas semanas. No limite, Biden engole até Bolsonaro, embora trabalhe para uma alternativa mais palatável do esquema Arenão. Além disso, Biden deseja que o Brasil, manejado por eles, segure a nova onda vermelha na América Latina. Esperteza demais costuma engolir os espertos.

O fato é que a história não está dada. Hoje, hoje os brasileiros começam a compreender esses movimentos. Mais do que isso começam a reconstruir as bases e as condições para fazer um enfrentamento a esse controle do Arenão em conluio com os EUA. Há fissuras nessa recomposição autoritária do Arenão, em meio ao genocídio e às tramoias do Centrão abraçado ao Partido Militar.

Novas manifestações populares estão a caminho. No próximo sábado teremos o 24J. Elas serão cada vez maiores e esse movimento das ruas será fundamental para definir as forças que encontrarão as saídas para a retomada do nosso Projeto de Nação.

Vamos à luta. Fora Bolsonaro, Partido Militar e Lira!

Roberto Moraes

Engenheiro e professor titular "sênior" do IFF (ex-CEFET-Campos, RJ)

 

 

Artigo publicado originalmente em https://www.brasil247.com/blog/lira-arma-o-arenao-partido-militar-centrao-faria-lima-buscando-apoio-dos-eua

Compartilhe:

 

FOTOS DOS ÚLTIMOS EVENTOS

  • 24.02.2020.376Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 4. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.350Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 3. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.193Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 2. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.114Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 1. 24 Fev 2020
  • 24.02.20.184Mudança, Magary, Motumbá. C. Grande. 24 Fev 2020
  • 24.02.20.022Didá & Respeita as Minas. Campo Grande. 24 Fev 2020

Parabéns Aniversariantes do Dia

loader
publicidade

GALERIAS DE ARTE

Mais galerias de arte...

HUMOR

  • Lava Jato_1
  • Categoria: Humor
Mais charges...

ENQUETE 1

Qual é o melhor dia para sair a noite?